[ListLayout]
×

Assaltante invade sala de aula na Uespi e é preso pelos estudantes

Estudantes da Universidade Estadual do Piauí (Uespi) vivenciaram mais um triste episódio protagonizado pela violência dentro do campus Torquato Neto, no bairro Pirajá, Zona Norte de Teresina. A ação criminosa ocorrida na noite de ontem (21) foi a quarta da semana e resultou em perseguição, tiroteio e um suspeito preso pelos próprios alunos. 
O alvo da vez foram universitários do curso de Administração. Um homem armado - que ainda não teve a identidade confirmada- invadiu a sala de vídeo do Centro de Ciências Sociais Aplicadas (CCSA) e promoveu um 'arrastão' levando pertences dos alunos, principalmente, celulares e notebooks em uma mochila infantil.
O assalto foi presenciado por um estudante que é policial militar, que estava em uma lanchonete, e resolveu agir. O universitário perseguiu o suspeito e houve troca de tiros, mas ninguém ficou ferido. O bandido foi imobilizado e preso pelos próprios alunos, antes mesmo da chegada da PM. Um comparsa dava apoio à ação criminosa do lado de fora da universidade, mas conseguiu fugir em uma motocicleta.
"Esses assaltos estão virando rotina, principalmente, às quartas-feiras. Esse supeito que foi pego hoje é o mesmo que assaltou da primeira vez", disse universitária Rivanildo Silva. 
"Nós nos sentimos totalmente inseguros. Se dentro da sala de aula já é assim, imagine aqui na parada de ônibus que é totalmente deserta", disse a universitária Ana Karolina. 
A insegurança tem causado pânico em estudantes e comerciantes que trabalham no campus e temem que a violência dentro do campus tenha um desfecho ainda pior.
"Vamos fazer um ato de paralisação na Uespi à noite. Ou se faz algo ou vamos parar a Uespi até que o Governo tome providências e coloque policiamento. Só oito seguranças não dão conta de todo o campus. Vai chegar o momento que vão assaltar um segurança e matá-lo ou até mesmo um aluno", disse o vice-presidente do Sindicato dos Professores da Uespi, Josinaldo Oliveira.
O comandante do 9º BPM, coronel Vicente Carlos, informou que suspeito usava tornozeleira eletrônica e já foi preso, pelo menos três vezes, pela acusação de roubo. Ele havia saído do presídio há menos de um mês.
Diante da situação, a Polícia Militar se reunirá com o reitor Nouga Cardoso para definir estratégias de segurança do campus.
Fonte:cidadeverde

Comentários