Márcia Fellipe está proibida de usar o próprio nome artístico

O ex-empresário da cantora Márcia Fellipe, Tuta Sancho, entrou na Justiça para proibir a cantora de usar o nome artístico. As informações são do Portal LeoDias, que revelou que Márcia já perdeu a primeira liminar. 

Nas redes sociais, sem dar explicação, a artista está confundindo a cabeça dos fãs e seguidores desavisados desde que passou a assinar como Márcia, A Fenomenal. 

Nas páginas do caso que corre em segredo de Justiça, o empresário alega que o nome "Márcia Fellipe" foi criado por ele e, sendo assim, até mesmo no site INPI, onde se faz consulta e registros de marcas, o nome em questão está em processo de contestação na briga pelos direitos de usá-lo. 

Para o portal LeoDias, Tuta Sancho esclareceu alguns pontos importantes sobre o caso. O empresário gerenciou a carreira de Márcia por 9 anos e, inclusive, informou que o rompimento da relação profissional se deu após a pandemia, quando ela, por decisão própria, decidiu seguir carreira solo. 

"O nome Mácia Fellipe é um ativo da nossa empresa, eu sou dono de 50%. Nós abrimos essa empresa e constituimos uma marca chamada Márcia Fellipe. Mas ela quis quis seguir carreira sozinha, com o esposo dela, depois que a gente fez todo o trabalho e eu reivindiquei os 50% disso, é  uma situação comercial", esclareceu ele. 

Tuta foi empresário artístico de Márcia desde a explosão dela na banda Forró da Curtição e contesta o fato dela ainda manter o nome como endereço de suas redes sociais, como no Instagram, por exemplo, onde apesar de usar Márcia A Fenomenal, seu usuário público ainda é @marciafellipe. "Ela nunca me procurou", disse Tuta sobre a possibilidade de um acordo.

*Com informações do portal LeoDias

Postar um comentário

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião do portal e são de responsabilidade do autor.