SUS deverá ofertar absorventes gratuitamente a mulheres de baixa renda

FOTO: MARCELLO CASAL
A medida foi oficializada na última quarta-feira (8), Dia Internacional da Mulher, quando o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, assinou o decreto para a criação do Programa de Proteção e Promoção da Dignidade Menstrual. A iniciativa beneficiará cerca de 8 milhões de pessoas que menstruam e contará com um investimento de R$ 418 milhões por ano. O objetivo é garantir a equidade de gênero e promover todos os direitos das mulheres, uma das prioridades do governo federal.

Também serão atendidas pessoas em situação de privação de liberdade e que cumprem medidas socioeducativas. Voltado a todas as pessoas que menstruam dentro do critério, o programa alcançará mulheres cisgênero, homens trans, pessoas transmasculinas, pessoas não binárias e intersexo.

Foto: Waterson Rosa - MS 

Em seu discurso o presidente reafirmou as novas medidas do atual governo e criticou o governo anterior de Jair Boslonaro.“Respeito em todos os espaços que elas queiram ocupar, seja no trabalho, em locais públicos, na política ou dentro de suas próprias casas. Respeito que nós lutamos para construir quando governamos este país. Respeito que faltou ao governo anterior quando optou pela destruição de políticas públicas, cortou recursos orçamentários essenciais e chegou a estimular, de forma velada, a violência contra as mulheres. Tenho a satisfação de dizer a vocês que finalmente o Brasil voltou”, afirmou.

Carlos santos

Repórter e colunista no Diário de Caraíbas.

Postar um comentário

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião do portal e são de responsabilidade do autor.