Entenda como evitar ansiedade e relacionamentos abusivos

Ser mulher no Brasil é perigoso e difícil. Assédio e violência de um lado, discriminação, machismo e desvalorização do outro. A mulher é vista como mais fraca e incapaz. Mas sabe o que mostra a força da mulher e que ela é mais capaz que qualquer homem? O fato dela passar por todo esse medo e ainda conseguir viver a vida dela, trabalhar e ter sucesso no que faz. O homem, sem dúvida nenhuma, cairia no primeiro obstáculo.

Elas são fortes sim, mas não deveriam passar por um terço do que passam. E o fato dela ser forte não significa que ela não sofra. Elas passam por problemas de A a Z. Vamos falar hoje sobre ansiedade e depressão. Como enfrentar tantos desafios de uma forma mais leve? Onde a sociedade colabora ainda mais para essa desvalorização. Como evitar a ansiedade que chega como consequência de tantos problemas?

A psicóloga Marcela Tenório explicou à coluna que o primeiro a se fazer para viver de uma forma mais tranquila e evitar problemas como ansiedade e depressão é identificar os problemas reais e buscar formas de desenvolver recursos internos e externos para lidar com essas demandas.

“Primeiro identificar quais os problemas e tentar verificar como eles interferem no bem-estar. Não tem como agir sobre algo sem saber como aquilo nos impacta. Em segundo lugar buscar formas de desenvolver recursos internos e externos para lidar com essas demandas sem que elas impactem de forma tão intensa na saúde mental. O processo terapêutico é um desses espaços para desenvolvimento de recursos para enfrentamento dessas adversidades”, completou a psicóloga.

Psicóloga Marela Tenório (Foto: Arquivo Pessoal)

Hoje em dia as notícias negativas estão por toda parte e isso facilita para que estejamos sempre sabendo de tudo que acontece. O indicado pela psicóloga Marcela é tentar não absorver esse conteúdo e buscar um fortalecimento de ser mulher.

“Percebendo que essas notícias impactam negativamente o ideal é tentar não absorver. Porém como isso diz respeito ao grupo no qual fazemos parte é necessário buscar o fortalecimento desse ser mulher, identificar os mecanismos do machismo em nossas vidas e tentar se libertar”, explicou.

RELACIONAMENTO

Você sabe se realmente está em um relacionamento saudável? Ouvir de um homem que você não precisa trabalhar porque ele vai te dar tudo e que só quer que você fique em casa não é um relacionamento saudável. De acordo com a psicóloga Marcela, é importante entender seu tipo de relacionamento para evitar um caso abusivo.

“Precisamos compreender o que de fato é um relacionamento saudável, principalmente o sentido do amor, para evitar se perder em relacionamentos abusivos. Outro ponto é não ter receio de pedir ajuda e denunciar. Hoje dispomos de diversos canais de denúncias. Caso não se sinta bem em fazer isso sozinha, é importante buscar a rede de apoio, se permitir ser acolhida e assim buscar os meios legais”, disse.

TEM COMO LIDAR COM HOMENS POSSESSIVOS EM UM RELACIONAMENTO?

Sim! Segundo a especialista Tenório, a melhor forma é sair da relação. Mas uma conversa também pode resolver quando for algo recente.

“A melhor forma eu diria que seria sair da relação, já que posse e ciúmes vão na contramão de uma relação saudável. Outra forma de lidar é conversar com o parceiro nos primeiros sinais, pontuar o comportamento e se houver abertura sugerir que esse busque ajuda psicológica para lidar com o comportamento e suas motivações”, pontuou.

COMO AJUDAR UMA AMIGA EM RELACIONAMENTO ABUSIVO

Não critique ela, isso pode piorar.

“Agora quando você tem uma amiga em sua situação como essa a pior intervenção é a crítica. Se faz necessário um acolhimento dessa pessoa pois já se encontra fragilizada. Buscar fortalecer o vínculo e fazer com que essa pessoa sinta confiança e segurança para perceber o que acontece e agir é uma das melhores formas de intervir”, destacou Tenório.

*** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Diário de Caraíbas

Postar um comentário

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião do portal e são de responsabilidade do autor.