Últimas

latest

Coques deixam de ser penteado da vovó e voltam repaginados para a cabeça das famosas

Uma das principais responsáveis pelo retorno do penteado é a modelo Kendall Jenner, 22, que levou às passarelas o coque no topo da cabeça, conhecido como top knot

terça-feira, 9 de outubro de 2018

/ por Equipe do Blog
Coque alto e bagunçado vem conquistando as mulheres (Foto: Reprodução)
Os tradicionais coques, que já foram marca registrada das vovós e artifício para os dias de cabelos rebeldes, voltaram repaginados nos penteados das celebridades. Com a aparência mais desarrumada, eles podem vir no topo da cabeça, na lateral, a partir de um rabo de cavalo ou de uma trança.

Uma das principais responsáveis pelo retorno do penteado é a modelo Kendall Jenner, 22, que levou às passarelas o coque no topo da cabeça, conhecido como top knot. “Virou uma febre. Logo depois, Ivete [Sangalo] apareceu com o penteado no The Voice e a Marina Ruy Barbosa adaptou com franja”, afirma o cabeleireiro Marco Antônio Biaggi.

Cabelos lisos, crespos, longos ou médios podem arriscar o coque, a restrição fica apenas para quem tem fios muito curtos. O formato do rosto também não é impedimento, apesar de o coque deixar mais evidente rosto, pescoço e colo e, consequentemente, dar destaque a pontos de insatisfação das mulheres.

“Para quem tem o rosto mais cheinho e se incomoda com isso, a ideia é deixar alguns fios soltos ao redor do rosto, dá uma disfarçada. Também é possível dar destaque a outros pontos da cabeça, com um coque lateral ou bem em cima da cabeça”, diz o cabeleireiro Didier Sé, do salão Marcos Proença, e creative ambassadors da Redken no Brasil.

Coque alto é a tendência entre famosas

Para a atriz Aline Dias, 27, o penteado é uma opção para todas as ocasiões. “Cansei de ir ao shopping e passear na praia com coque. Durante o dia, uso mais despojados e, à noite, mais elaborado, esticado da raiz ou mais pro alto. Ele é certeiro, não tem restrição de horário e roupa”, afirma ela, que está no ar em “O Tempo Não Para” (Globo).

Dias elege o coque mais despojado como seu favorito: “Eu mesma faço, abro o coque com o dedo, solto um fiozinho da frente, perto da orelha”, descreve ela, que também tem usado os coques para esconder a transição do cabelo liso por química para o cacheado natural.

A receita de como fazer o coque ideal, no entanto, não é simples, já que nem os cabeleireiros são unânimes. Biaggi sugere um rabo de cavalo ou trança bem no alto da cabeça, antes de enrolar as madeixas e prender com grampos. Pomada para cabelos é recomendável na preparação e o dry shampoo, uma opção para a textura matte no final.

Segundo ele, é um cabelo ideal para o dia seguinte. Uma forma de reutilizar a escova da noite anterior ou mesmo um babyliss. No caso desse último, o coque deve ficar mais robusto, semelhante ao efeito daqueles feitos a partir das tranças. A pomada em pós também é uma dica de Biaggi para dar uma textura mais dust.

COMO FAZER O COQUE:

1.    Preparo
Aplique um pouco de pomada no cabelo

2.    Base
Prenda um rabo de cabalo ou trança bem no alto da cabeça

3.    Ajuste
Se quiser um efeito mais despojado, pode alargar um pouco a trança e torcer, sem apertar, o rabo

4.    Processo
Enrole o cabelo ao redor do elástico, novamente sem apertar

5.    Cuidado
Usa grampos para prender a ponta do cabelo, com o cuidado de escondê-los

6.    Finalização
Puxe alguns fios laterais da região das orelhas para dar um tom mais despojado

Já Renata Souza, hair stylist do spa Déia e Renata, recomenda que o coque seja feito sem elásticos. Primeiro puxar e enrolar o cabelo, para depois usar os grampos. Segundo ela, rabo de cavalo levará a um resultado arrumadinho. “Quando partir da trança, é legal soltar um pouquinho antes de enrolar”, diz ela, já sobre o efeito mais bagunçado.

Para quem ainda se preocupa em ficar com o cabelo parecido com o coque da vovó, Sé recomenda que sejam evitados os penteados que deixam o cabelo fofinho nas laterais da cabeça. Segundo ele, esse tipo de coque tende a parecer mais senhoril.

Outro alerta que os especialistas dão é para o exagero no efeito despojado. Sé defende o uso do coque como um contraponto, uma forma de dar um tom mais minimalista para um visual formal. “Não é um cabelo para usar de cara lavada. Corre o risco de ficar bagunçado demais. Precisa de uma make, Ray Ban, bocão”, acrescenta Biaggi.

*OitoMeia

Nenhum comentário

Postar um comentário

Seleções do editor
© Todos os direitos reservados
Feito com por AF Design