Lula tem 37,3% e Bolsonaro, 18,8%, diz pesquisa CNT/MDA

A primeira pesquisa nacional desde o início oficial da campanha eleitoral de 2018 foi divulgada nesta segunda-feira (20) e traz o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em primeiro lugar na disputa presidencial, com 37,3% das intenções de voto. O levantamento foi feito pelo instituto MDA e encomendado pela CNT (Confederação Nacional de Transportes).

O deputado federal e candidato do PSL ao Palácio do Planalto Jair Bolsonaro aparece em segundo lugar, com 18,8%. A pesquisa ouviu 2.002 pessoas entre a última terça-feira (14) e este domingo (19), em 137 municípios de 25 unidades da federação. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%.

Foram testados os 13 candidatos que pediram registro ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral).
Veja o resultado:

Lula (PT) - 37,3%

Jair Bolsonaro (PSL) – 18,8%

Marina Silva (Rede) – 5,6%

Geraldo Alckmin (PSDB) – 4,9%

Ciro Gomes (PDT) – 4,1%

Alvaro Dias (Podemos) – 2,7%

Guilherme Boulos (PSOL) – 0,9%

João Amoêdo (Novo) – 0,8%

Henrique Meirelles (MDB) - 0,8%

Cabo Daciolo (Patriota) – 0,4%

Vera (PSTU) – 0,3%

João Goulart Filho (PPL) – 0,1%

José Maria Eymael (DC) – 0%

Branco/Nulo – 14,3% Indeciso – 8,8%

Transferência de votos

Considerando apenas o universo de eleitores que inicialmente declararam voto no petista, Haddad ficou em primeiro lugar, com 17,3% das intenções de voto, seguido de Marina Silva e Ciro Gomes, com 11,9% e 9,6%, respectivamente. Somados, votos brancos e nulos e índice de indecisos representam 47,9% do total.

Fernando Haddad (PT) – 17,3%

 Marina Silva (Rede) – 11,9%

Ciro Gomes (PDT) – 9,6%

Jair Bolsonaro (PSL) – 6,2%

Geraldo Alckmin (PSDB) – 3,7%

Guilherme Boulos (PSOL) – 0,8%

Alvaro Dias (Podemos) – 0,7%

Henrique Meirelles (MDB) – 0,7%

Vera (PSTU) – 0,5%

Cabo Daciolo (Patriota) – 0,3%

João Amoêdo (Novo) – 0,3%

João Goulart Filho (PPL) – 0,1%

José Maria Eymael (DC) – 0%

Branco/Nulo – 31,3%

Indecisos – 16,6%

A candidatura de Lula foi questionada e o TSE deve decidir se o ex-presidente, que está preso desde de abril, poderá disputar as eleições de outubro. Por ter sido condenado em segunda instância, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá (SP), ele foi enquadrado na Lei da Ficha Limpa e se tornou potencialmente inelegível.

Na semana passada, o comitê de Direitos Humanos da ONU (Organização das Nações Unidas) solicitou que o Estado brasileiro permita que Lula o petista dispute o pleito e tenha o direito de fazer campanha mesmo estando preso. O Itamaraty, por sua vez, informou que se tratava apenas de uma recomendação, mas comunicou que a remeteria à Justiça eleitoral, que ainda não se manifestou.

Com informações da UOL

Comentários