Homem quebrou pescoço de mulher dentro de motel em Teresina


O delegado geral da Polícia Civil, Riedel Batista, o delegado da Delegacia de Homicídios, Francisco Baretta e o delegado Emerson Almeida, apresentaram no início da tarde desta quinta-feira (25), durante entrevista coletiva, os laudos da investigação a cerca do crime de Maria da Cruz, encontrada morta no dia 17 de dezembro, próximo a um shopping na zona Leste de Teresina.

O crime chamou atenção devido a um bilhete em que foi encontrado no bolsa da vítima que dizia “Só matei por que ela reagiu e tinha pouco dinheiro e ficou dizendo que tinha dois filhos adivogados para ferrar com nois”. Segundo o delegado Emerson Almeida, esse bilhete foi primordial para fechar o quebra-cabeça que envolvia o crime.

“Ela foi encontrada e nós não tínhamos a identificação e junto ao cadáver foi encontrado um bilhete e foi observado que a vítima tinha vários sinais de indicativo de violência e faltava alguns pertences. No local do crime foi recolhido todos os indícios que o criminoso havia deixado e as imagens de câmeras de segurança. Após a análise das imagens, nós chegamos a um veículo e o horário em que ele passou pelo local. Nós ouvimos os familiares e amigos da dona Maria da Cruz que deram um norte dos últimos passos da vítima. Após ouvir as testemunhas, nós conseguimos chegar ao horário em que ela havia saído de casa e no bilhete em que havia “adivogado” e “nois” com “i” foi identificado que tinha um conhecido que escrevia assim e ainda que naquele dia ela teria dito que ia pegar uma carona com uma amiga, mas foi descoberto que ela teria pego um mototáxi até a praça do Marquês, último local onde ela foi vista com vida e conseguimos capturar as imagens de segurança do local. Esse conhecido que é muito ligado a família e compadre da vítima, se mostrava muito indiferente a morte e logo após viajou para uma cidade no Maranhão. Então todos esses indícios levaram ele como principal suspeito pela morte. Nós fomos até a sua casa com um mandado de busca e apreensão e mostramos todas as provas de que ele era autor do crime, de cara ele negou o crime, mas ao mostrar tudo que tínhamos em mãos, ele resolveu confessar a autoria do crime”, declarou o delegado.

O acusado seria José Augusto de Lima que teria uma relação muito próxima a vítima e foi preso na última terça-feira (13), em um estabelecimento comercial no bairro Piçarra, na zona Sul de Teresina.

Ao chegar na casa do suspeito, foram apreendidos as roupas e ferramentas do acusado, como chave de roda e alicates que foram usadas para quebrar o pescoço da vítima e dilacerar seu corpo, todas essas ferramentas estavam no porta-malas do carro do acusado. Logo após apresentar todas as provas, o homem confessou o crime, mas alegou que atingiu em defesa logo após uma discussão com a vítima que teria caído e batido a cabeça em uma pedra.

O acusado teria pegado a vítima na Praça do Marquês e levado para um motel na zona Norte de Teresina, onde teriam passado cerca de 7 horas. O delegado afirmou que ele alegou que ela o ameaçava contar a relação que os dois tinham para a esposa do acusado, porém os laudos mostram que não houve relação sexual. “Ele matou ela por volta das 17h e limpou todo o local do crime, mas deixou vestígios. O bilhete foi escrito ainda nesse estabelecimento, no local do crime foi feito a perícia. Esse crime não tem como ter um parecer de acidente, pois todo os indícios mostram que houve luta corporal no local, pois a vítima teria tentado se defender das agressões”, afirmou.

Ele tentou passar a conotação de que o crime teria sido um acidente. A camareira do estabelecimento revelou que a colcha da cama do estabelecimento foi lavada, pois o acusado disse que a mulher teria menstruado.

O corpo foi deixado no local por volta das 23h e o acusado teria seguido para a casa de um parente para assinar um contrato e assim conseguir montar um álibi. “Todo o caminho e a forma bárbara como ele matou a vítima foram identificados no processo de investigação da Polícia Civil. O crime foi desvendado, todas as provas técnicas foram colhidas e assim a polícia dar por fim a investigação desse homicídio”, declarou o delegado Emerson Almeida.













Fonte: Efrem Ribeiro



Comentários