MP investiga condições higiênicas em matadouro de Batalha-Pi

Na tarde da última quarta-feira (17) o promotor de justiça Antônio Charles Ribeiro de Almeida, em companhia de um técnico da Agência de Defesa Agropecuária do Piauí – Adapi, estiveram averiguando as condições higiênico-sanitárias no abate de animais realizado no matadouro municipal de Batalha-Pi. 

Segundo a vistoria realizada, a lagoa de estabilização que foi construída para receber os resíduos provenientes do matadouro, está muito próxima do prédio principal causando um odor insuportável para quem trabalha no local. O técnico da Adapi sugeriu o afastamento da lagoa e a construção de filtros para coletar resíduos sólidos, antes do deságue na lagoa.



“O matadouro tá bom. Estrutura nova. Mas existe um problema sério. A lagoa de resíduos. Vou encaminhar oficio para a prefeitura pra que se providencie a construção de um novo local para os resíduos, bem mais distante do prédio principal”, disse o promotor.

Ainda segundo Charles, o matadouro tem outros problemas menores, mas o mais grave detectado no momento foi esse da lagoa.

“É terrível. É insuportável o odor que exala. Além de poder prejudicar as carnes, é insalubre para as pessoas que ali trabalham”, conclui Charles.

A população tem reclamado, também, sobre o transporte da carne, que é feito em veículos de forma precária e sem condições adequadas de higiene.

Fonte: Folha de Batalha
© 2013-2021 Diário de Caraíbas - Todos os direitos reservados.