Educação em Batalha pode entrar em greve

A Prefeitura municipal de Batalha não implantou o PINSAN 2014 e mandou esse mês um projeto para a câmera atualizando o PINSAN, pois está reduzindo em 9% a diferença da Classe (A) para (B) de 20% para 11%.

Para os professores o prejuízo é muito grande, é uma perca irreparável se passar da forma que a prefeitura propôs.


Para que isso não acontecer o sindicato está discutindo com a câmera para tentar resolver a situação. 



“A greve só se não conseguimos reverter esse projeto de redução, não temos prazo ainda, estamos trabalhando para chegar a esse ponto” diz Nonato Silva (Presidente do SINDSERM) para a redação do Diário de Caraíbas.

Segundo Nonato Silva terá uma assembleia na sexta-feira às 14:30h no SINDSERM e uma sessão a noite na câmera às 19:00h para ver como os vereadores se manifestam.


Hoje o sindicato teve uma reunião com os vereadores Clayson e Guilherme, onde foi discutido o projeto e tentando encontrar uma saída para evitar um problema maior.


"Os vereadores prometeram estudar o projeto e junto à prefeitura resolver o impasse" diz Nonato Silva.

Houve também uma reunião com o Vereador Neto Machado sobre o mesmo assunto.
© 2013-2021 Diário de Caraíbas - Todos os direitos reservados.