Drogas, aparelhos eletrônicos sem nota fiscal e motocicleta são apreendidos em ônibus no Piauí

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu na BR-135, em Bom Jesus, Sul do Piauí, 1.669g de cocaína, 87 aparelhos eletrônicos sem nota fiscal e uma motocicleta clonada. O material apreendido estava sendo transportado em um veículo destinado ao transporte de passageiros, que havia partido de São Paulo. Segundo a PRF, os três crimes não estavam ligados entre si, já que eram provenientes de três autores diferentes. Apenas um dos responsáveis, um homem de 32 anos, estava presente no ônibus no momento da abordagem, enquanto os outros dois não eram passageiros. 

Além das apreensões, a equipe também encontrou duas cartelas de comprimidos de "rebite" na bolsa do motorista. Em decorrência disso, foi lavrado um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), registrando formalmente os fatos para fins legais. O caso foi registrado no domingo (17). 

Dinâmica das apreensões

Durante fiscalização no interior do veículo, os agentes encontraram uma mochila embaixo da poltrona de um passageiro. Dentro dela, foram localizados três sacos brancos contendo numerosos invólucros de substância análoga à cocaína. Após serem cuidadosamente pesados na balança, os invólucros totalizaram 1.669g. O passageiro responsável pela posse da droga, um homem de 32 anos, foi preso em flagrante.

Ainda durante as inspeções no mesmo ônibus, a equipe encontrou uma motocicleta Honda CG 125 FAN, de cor preta, que estava no bagageiro do veículo. Após uma análise minuciosa dos elementos identificadores, constatou-se que a motocicleta exibia sinais de abrasão na numeração do chassi, além de sobreposição no QR Code da placa de identificação traseira, o que impossibilitava sua leitura. Segundo informações fornecidas pelo condutor do ônibus, a motocicleta estava sendo transportada como encomenda, de São Paulo (SP) para Tauá (CE).

Por fim, foram localizadas, também no interior do bagageiro, três caixas. Dentro delas estavam armazenados um total de 87 aparelhos eletrônicos, incluindo celulares de diversas marcas, carregadores e relógios digitais. Nenhum dos itens possuía nota fiscal, o que configura o crime de Descaminho.

Diante dos expostos, os casos foram encaminhados à Delegacia de Polícia Civil de Bom Jesus para que as devidas providências legais fossem adotadas.

Arnaldo Silva

Diretor-geral de jornalismo, colunista e repórter de política e municípios do Diário de Caraíbas.