Incêndio no Hospital Regional Justino Luz em Picos deixa pacientes em desespero

Populares registraram momentos de desespero no Hospital Regional Justino Luz, na cidade de Picos (a 313 km de Teresina), após um incêndio que teria começado na Ala B e se alastrado até a Ala C da unidade, na madrugada desta quinta-feira (18).

Em vídeos divulgados, as chamas devastaram uma sala de atendimento, com destroços de camas hospitalares. Pacientes em quartos tomados pela fumaça foram evacuados, alguns em macas e outros caminhando com auxílio.

Pessoas que estavam recebendo atendimento, profissionais de saúde e acompanhantes buscaram abrigo na Praça Antenor Neiva, próxima à unidade, aguardando transferência. Familiares descreveram a cena como um filme de terror, com gritos, pedidos de ajuda e pacientes despidos, alguns enrolados em lençóis, tentando salvar suas vidas.

Após o incêndio, parte dos pacientes foi remanejada para hospitais privados em Picos, enquanto outros permaneceram no Hospital Regional Justino Luz, mesmo com áreas liberadas, ainda com forte cheiro de fumaça. Alguns pacientes e funcionários inalaram fumaça, necessitando de atendimento e oxigênio.

Nota de Esclarecimento da Secretaria de Estado da Saúde

A Secretaria de Estado da Saúde informou que o incêndio na Ala B do Hospital Regional Justino Luz, em Picos, foi controlado pelos bombeiros por volta das 4 horas da manhã, desta quinta-feira (18). Não houve feridos, mas pacientes de baixo risco na ala serão transferidos, se necessário, para hospitais da região. A secretaria aguarda o laudo do Corpo de Bombeiros para esclarecer a causa do incidente.

Duas equipes do Corpo de Bombeiros e profissionais do Samu trabalharam na evacuação e extinção das chamas. A primeira equipe combateu o incêndio, enquanto a segunda auxiliou na retirada de pacientes. O comandante do 4° Grupamento de Bombeiros Militar de Picos, tenente Medeiros, relatou que o fogo estava alto, causando falta de ar nos pacientes.

A situação no Hospital Regional Justino Luz está sendo acompanhada pela Sesapi, que permanece atenta aos desdobramentos do ocorrido.

Postar um comentário

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião do portal e são de responsabilidade do autor.