Equipe de Lula começa a discutir hoje como manter auxílio em R$ 600

A equipe do presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), começa nesta quinta-feira (03) a se dedicar sobre os desafios do próximo mandato e terá de lidar com os ajustes necessários no Orçamento do ano que vem.

Um dos temas a serem debatidos é a manutenção do auxílio em R$ 600 para a população carente em 2023. Até o momento, esse valor não está assegurado. 

Lula afirmou em seu primeiro discurso como presidente eleito que o combate à fome e à miséria é o compromisso número 1 do governo.

Encaminhada em agosto deste ano ao Congresso Nacional pela área econômica do atual presidente Jair Bolsonaro (PL), a proposta de orçamento para 2023 prevê um benefício médio de R$ 405.

Um valor adicional de R$ 150 por crianças de até seis anos foi uma das propostas do candidato petista durante sua campanha. A ideia da nova gestão é retomar o antigo Bolsa Família.

Está prevista uma reunião nesta quinta-feira entre Geraldo Alckmin, vice-presidente eleito e coordenador da equipe de transição, e o senador eleito Wellington Dias (PT-PI), coordenador de Orçamento da campanha, com o relator do Orçamento, senador Marcelo Castro (PMDB-PI).

Postar um comentário

1 Comentários

Os comentários não representam a opinião do portal e são de responsabilidade do autor.

  1. Sobre a manutenção do auxílio em R$600,00 a fundo perdido sem contrapartida do recebedor, eu sempre fui contra o governo tirar da saúde pública, educação, segurança, infraestrutura entre outros para dar de mão beijada gratuitamente a quem não faz esforço algum para sair de situação de dependente desse programa por que se evoluir e sair vai ter que trabalhar e muitos não gostam de trabalhar. Eu sou contar

    ResponderExcluir