Caso Donizetti Adalto: julgamento de Djalma Filho é adiado novamente

Marcado para a manhã desta quinta-feira (24), o julgamento do ex-vereador de Teresina, Djalma Filho, acusado de ser o mandante do assassinato do jornalista Donizetti Adalto, foi adiado novamente após o advogado criminalista Lúcio Tadeu Ribeiro dos Santos renunciou à defesa do acusado.

O presidente da sessão, juiz Antônio Reis de Jesus Nollêto, leu o pedido de renúncia da defesa do ex-vereador e remarcou a nova data do julgamento. A nova data marcada é o dia 27 de abril, às 08h30.

Entenda o caso

De acordo com a acusação do Ministério Público, baseada em inquérito policial proveniente do 2º Distrito Policial, Donizetti Adalto foi morto numa emboscada, impossibilitando a sua defesa, onde foram desferidos vários tiros a queima roupa e, ainda agonizando, foi torturado, o que lhe causou traumatismo nas unidades dentárias.

O ex-vereador foi pronunciado por homicídio triplamente qualificado: motivo fútil, meio cruel e a emboscada. O crime é considerado hediondo.

Caso seja condenado, o ex-vereador Djalma Filho poderá pegar até 30 anos de cadeia.

*Com informações do portal GP1

Postar um comentário

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião do portal e são de responsabilidade do autor.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que citada a fonte.