1 em cada 3 senadores mudou de partido desde as eleições de 2018

Desde as eleições presidenciais de 2018, um total de 29 senadores mudou de partido para as eleições deste ano. Os dados foram obtidos em levantamento feito pelo portal de notícias da Globo, o G1.

As mudanças equivalem a 1 troca a cada 3 integrantes da Casa, ocupada por 81 representantes - são três por unidade federativa.

Quem mais se beneficiou foi o PL, partido do presidente Jair Bolsonaro. Desde a posse, angariou 5 novos senadores e, com os 2 que já detinha (enquanto PR), pulou da 12ª colocação para ser a 6º sigla com mais senadores.

MDB e PSD também se destacam, pois ganharam quatro membros cada um. O MDB pulou de 12 para 16 e se manteve como maior partido no Senado, enquanto o PSD foi de 7 para 11 e saiu de 3º para o 2º lugar.

Até então 2º colocado, o PSDB tinha 9 senadores e agora tem 8, o que o fez cair para a 4º posição, logo atrás do Podemos, com 9 (antes possuía 5). Nesta semana, os tucanos ganharam o reforço de Alessandro Vieira, que saiu do Cidadania - ele fora eleito pela Rede quatro anos atrás.

Justamente a Rede é a sigla mais atingida pelo troca-troca partidário, tendo sua bancada praticamente extinta: permanece com apenas um senador, Randolfe Rodrigues, contra os 5 em 2018.

[eye] Confira as trocas

*G1

Postar um comentário

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião do portal e são de responsabilidade do autor.