[Latest News][6]

3 anos
30 anos da Capela de São Miguel Arcanjo
5 anos
Agenda Cultural
Agenda de Shows
Anúncios
Arnaldo Francisco
Artigos
Assunção do Piauí
Barras
Batalha
Batalha 160 anos
BBB19
Beleza
Bem Estar
Boa Hora
Bom Jesus
Brasil
Brasileira
Buriti dos Lopes
Cada Falso
Campanha “Eu amo Batalha”
Campanhas
Campo Maior
Caraíbas
Carnaval 2018
Carnaval 2019
Casa e Decoração
Ceará
Charge
Cidade
Cidades
Cocal
Coisas da nossa terra
Colaboradores
Concursos
Copa 2014
Copa 2018
Copa 2022
Crônicas
Cultura
Curiosidades
Da Redação
Destaque
Editoria de Cidades
Educação
Eleições 2014
Eleições 2016
Eleições 2018
Em Foco
Enem 2014
Enem 2015
Enem 2016
Enem 2017
Enem 2018
Entretenimento
Espaço Livre
Especial
Esperantina
Esporte
Esporte Campeão
Estilo de Vida
Eventos e Festas
Evite queimadas
Fake News
Fatos Curiosos
Festa de SMA
Festa do Bode 2017
Festejo de São Miguel Arcanjo
Floriano
Fotos
Galeria de Fotos
Gente
Gente e TV
Geral
Imagens
Invista Fácil
javascript:void(0);
José de Freitas
Lagoa de São Francisco
Luzilândia
Marinheiro
Melhores do Ano 2018
Morro do Chapéu
Mundo
Na Lente
Natal do Diário 2016
Natal do Diário 2017
Notícias
Notícias da TV
Notícias regionais
Novidades
Olimpíada Rio 2016
Operação Lava Jato
Parnaíba
Pe. Leonardo Sales
Pedro II
Piauí
Picos
Piracuruca
Piripiri
Plantão
Polícia
Política
Pontos Turísticos
Programa 15 Minutos
Redação nota 1000
Retrospectiva 2017
Revista Diário de Caraíbas
saúde
Semana Santa
Solidariedade
techNews
Tecnologia e Games
Teresina
Textos da Vivi Antunes
Timon-MA
travel
Últimas
Urgente
Variadas
Vídeos
VlogdoArnaldo
Você Repórter
Web Rádio
Web Rádio Caraíbas
z

Diretora expulsa aluna que leva filho para sala de aula

Edna Carla Carvalho, aluna da Unidade Estadual Dr. Fontes Ibiapina, que fica no Renascença I, registrou Boletim de Ocorrência (BO) na manhã desta quarta-feira (23) na Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente contra a diretora do turno da noite da escola, a Professora Maria das Dores Oliveira. O desentendimento entre as duas partes aconteceu na última terça-feira (22), quando a diretoria quis expulsar Edna da escola por ter levado o seu filho de 6 anos para a sala de aula. Aluna e filho foram agredidos verbalmente pela diretora.

A estudante de 31 anos cursa o 3º ano integrado ao curso Técnico de Enfermagem no turno da noite e, vez por outra, necessita levar o filho de 6 anos para a aula por não ter com quem deixá-lo. “Eu só levo ele para a escola é último caso, quando não tenho com quem deixar porque meu marido trabalha também no turno da noite”, disse Edna, “Já faço isso há mais de dois anos, que é o tempo que estudo lá, mas isso nunca tinha acontecido”, relata. 

Na noite do ocorrido que gerou o BO, a diretora, segundo a aluna, começou a ‘implicar’ com a criança quando a mesma foi beber água com a sobrinha de Edna, que estuda com ela na mesma sala. “Eles saíram para beber água e lá no pátio ela abordou minha sobrinha dizendo que ‘esse não pode ficar aqui na escola’. Minha sobrinha disse que a mãe do menino estava na sala de aula e dai ela já chegou gritando na sala que era pra eu ir embora, que não podia estar alí e iria me denunciar, inclusive ao Conselho Tutelar”, contou Edna. 

A discursão seguiu com a diretora aos gritos querendo que a aluna fosse até a diretoria para assinar o termo de desistência do curso. “Ela gritou muito, discutimos e ela queria que eu assinasse termo de desistência. Meu filho ficou apavorado, coitado, e quando os ânimos se acalmaram eu fui embora para casa”, contou Edna. “Tudo isso aconteceu no começo da noite, eu só tinha assistido uma aula, tinha até um seminário para apresentar, mas preferi ir embora”.

Nesta manhã, Edna registrou o BO porque seu filho ficou muito chocado, passou a noite com febre e ela também ficou abalada com a situação. Além disso, disse que foi à Gerência Regional de Educação (GRE) no Dirceu, onde registrou um termo de denúncia contra a diretora. “Me orientaram a volta à sala de aula hoje normalmente, que eles iriam, resolver o problema. Mas eu, sinceramente, não sei se volto. Ela é muito grossa com todo mundo na escola e ninguém nunca teve coragem de denunciar, essa é a verdade. Mas, mexeu com meu filho, mexeu na parte que mais me dói”, finalizou a estudante.

Procurada pela reportagem do Portal CidadeVerde.com nesta manhã, a diretora Dorinha, não se encontrava na escola porque só trabalha no turno da noite e os funcionários não tinham autorização para fornecer o telefone particular da mesma.

A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) se posicionou através de nota onde informa que a direção do turno da noite da Unidade Escolar não teria expulsado a aluna da escola, nem a agredido verbalmente. "Apenas a orientou sobre a não permissão de crianças na escola, haja vista a unidade esteja localizada numa área de risco.  A presença de crianças na escola as deixa em situação vulnerável e, caso haja algo com esses menores, a administração da escola pode até responder criminalmente. A medida é orientação do Conselho Tutelar", diz a nota.

A Secretaria também acionou a diretora que se posicionou na mesma nota:

“Nós orientamos as mães a não levar as crianças e ainda assim alguma delas levam até três filhos. A escola foi orientada pelo Conselho Tutelar a não permitir menores na escola, no turno da noite, pois é um ambiente impróprio. As aulas terminam às 22h e as crianças ficam dormindo pela escola. O direito da mãe é um e da criança é outro, e ambos devem ser garantidos. A aluna em questão continua coma a sua matrícula preservada”, afirmou a diretora Maria das Dores Oliveira.

Erica Paz Pereira, Especial para CidadeVerde.com
redacao@cidadeverde.com

About Author Mohamed Abu 'l-Gharaniq

when an unknown printer took a galley of type and scrambled it to make a type specimen book. It has survived not only five centuries.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Start typing and press Enter to search