Jovem leva 12 anos por matar “Chico Pé Seco” em Batalha

Na última terça-feira, dia 11, o Tribunal do Júri de Batalha condenou o ajudante de pedreiro Antonio José dos Santos Silva à pena de 12 anos de reclusão, em regime inicial fechado, pelo crime de homicídio qualificado cometido contra o idoso Francisco Miranda Lopes, (foto) conhecido pela alcunha de “Chico Pé Seco”. O crime ocorreu em janeiro de 2014 no bairro Toca da Raposa.

O crime ocorreu no dia 26 de janeiro de 2014, no bairro Toca da Raposa. A vítima foi encontrada morta na calçada de sua residência, com muito sangue na face. O corpo tinha perfuração de bala na região torácica.

O ajudante foi preso logo depois do assassinato, e confessou o crime, afirmando que teria agido em legítima defesa. Segundo ele, Chico Pé Seco teria agredido sua mãe.

A defesa exercida pelo advogado Afonso Lima da Cruz Junior sustentou a tese de legítima defesa e homicídio privilegiado, ao fundamento de que o RÉU Antonio José dos Santos Silva, vulgo “TOIN”, 21 anos, agiu impelido por motivo de relevante valor moral vez que a sua mãe foi supostamente agredida pela vítima “Chico Pé Seco”. Já a acusação, desempenhada pelo promotor Antonio Charles Ribeiro de Almeida, tentou a condenação do réu nos termos da denúncia.

Os jurados, no entanto, não acolheram a tese de legítima defesa e condenaram o réu por homicídio qualificado por motivo fútil.

É importante salientar que alguns dias antes do crime, a vítima havia sido agredida e assaltada dentro da sua própria residência por dois indivíduos encapuzados. Na época, a vítima denunciou o réu que estava na companhia do menor conhecido como “Camunsé”, pela prática do delito.

“Mesmo considerando que o réu se encontra preso desde 04.02.2014, ou seja, há 02 anos, 08 meses e 06 dias, ainda assim, o regime inicial de cumprimento de pena deve ser o fechado”, declarou a juíza Lidiane Suély Marques Batista, titular Vara do Juizado Especial Cível e Criminal da Comarca de Batalha.

Fonte: Folha de Batalha

Postar um comentário

0 Comentários