Após discussão, advogado é morto a tiros dentro do próprio escritório em Barras

Um advogado foi assassinado dentro do próprio escritório com pelo menos três tiros na manhã desta segunda-feira (13) na cidade de Barras, Norte do Piauí. Segundo a Polícia Militar, a vítima, identificada como Kelson Dias Feitosa, 54 anos, era advogado de um empresário, tio do suspeito, que movia ações judiciais acusando o sobrinho de ter aplicado golpes.
O crime aconteceu no escritório de Kelson, que funcionava na sua própria residência. A polícia acredita que uma discussão motivou o assassinato. De acordo com o tenente Miguel Batista, do comando de policiamento de Barras, suspeito e vítima travavam uma briga pessoal há algum tempo.
Segundo o militar, o suspeito teria aplicado golpes na empresa do tio onde trabalhou como gerente e o teria levado à falência, fato que motivou o empresário a denunciar o sobrinho às autoridades policiais. De acordo com o tenente, o suspeito responde a outros processos por crimes como estelionato.
"A polícia ficou sabendo que o suspeito teria indo na casa do advogado antes. Lá eles tiveram uma discussão, o suspeito saiu, mas depois voltou portando uma arma. Ele disparou três vezes contra o advogado, que morreu no local. De lá, ainda saiu atrás do tio, com quem também teria problemas de relacionamento", disse.
Conforme o policial, o suspeito ainda tentou matar o próprio tio no comércio com a arma que usou para atirar no advogado, mas o revólver teria falhado. "Quando a arma falhou, o suspeito deu coronhadas na cabeça do empresário, tio dele. Ele foi levado para o hospital por familiares, onde fez curativo e passa bem", disse.
Após os crimes, o suspeito ainda tentou fugir, mas acabou se entregando na Delegacia de Barras, onde está preso. Ele foi autuado em flagrante e deve responder pelos crimes de homicídio e tentativa de homicídio.
Uma viatura do Instituto Médico Legal (IML) de Teresina foi acionada até o local para fazer a remoção do corpo. A Perícia Criminal também foi acionada e fez os procedimentos no local do crime, que foi isolado. Parentes, vizinhos e muitos curiosos se aglomerarana rua onde o advogado morava. Fonte: G1

Comentários