Greve de professores já dura duas semanas

Em uma carta aberta aos moradores do município de Batalha, o Sindicato dos Servidores Públicos (SINDSERM), denuncia que a prefeitura estaria transferindo sem justa causa, tirando os direitos já adquiridos e ameaçando descontar o salário dos profissionais que aderirão à paralisação. A greve já dura duas semanas, e pelo visto não tem dia certo para acaba.

Ainda de acordo com as denúncias, a prefeitura estaria deixando de valorizar os servidores efetivos para contratar funcionários comissionados, esta medida segundo o SINDSERM estaria onerando a folha de pagamento, prejudicando o pagamento dos que estão no emprego por meio de concurso público. 

Uma nova assembleia está marcada para esta sexta-feira (18), às 16h, na sede do SINDSERM, afim de definir os rumos da manifestação, de lá os servidores deverão sair em caminha até a câmara de vereadores, onde deverá ocorrer uma sessão para tratar do Regime de Previdência Própria, projeto apresentado pelo poder executivo e que muitos servidores são contra.

A prefeita Teresinha Cardoso enviou um ofício ao sindicato onde diz que não há motivo para uma greve, já que a mesma assinou um documento onde até dezembro deste ano, a prefeitura iria atender alguns pontos indicados pelo sindicato. A gestora também alegou dificuldades financeiras para poder honrar todos os compromissos com os servidores, mas garantiu que vem tratando os servidores de forma honesta, uma vez que ela vem fazendo uma administração transparente.


Fonte. Folha de Batalha

© 2013-2021 Diário de Caraíbas - Todos os direitos reservados.